quinta-feira, 12 de julho de 2007

86'd

Hoje não quero escrever nada meu. Hoje quero passar um poema de Charles Bukowski, um dos meus escritores preferidos. Sempre bêbado e fã de corridas de cavalos, começou sua carreira tardiamente e nunca foi famoso por sua doçura...
Eu o prefiro por seus contos e romances do que por seus poemas, mas este em especial, chamado 86’d, sinto imensa necessidade, no momento, de expor aqui. Abaixo segue ele, na tradução para o português feita no livro Os 25 Melhores Poemas de Charles Bukowski por Jorge Wanderley.

“o que mais compromete o trabalho
é
tentar fazê-lo
sob uma bandeira
santificada.
a semelhança das intenções
com as dos outros
distingue o idiota
do descobridor

você pode aprender isso em
qualquer
sinuca de esquina, jóquei, bar,
universidade ou
cadeia.

as pessoas correm da chuva mas
sentam
em banheiras cheias
d’água.

é bem desanimador saber que
milhões de pessoas estão preocupadas com
a bomba de hidrogênio
embora
já estejam
mortas.

mesmo assim continuam querendo
mulheres
dinheiro
fazer sentido.

e finalmente o Grande Bartender se inclina pra você
branco e puro e forte e místico
e diz que pra você já
basta
logo quando você acha
que está justamente
começando.”

5 comentários:

mario elva disse...

Grande Buka!!!

Crissssss disse...

Muito bom!

Karina disse...

"logo quando você acha
que está justamente
começando”

Frustrante sensação!

Marcos AM Ramos disse...

Frustrante mesmo. Creio que era essa mesma a mensagem desde a primeira palavra deste poema...

Louis Alien disse...

o grande velho safado.
é.... a docura dele é adstringente,
mas presente

esse é um puta poema.

recomendo mais esse:

poema dos meus 43 anos