domingo, 15 de maio de 2011

Não


Eu não acordei cedo no primeiro dia do ano. Não me levantei da cama e não fui tomar um banho quente e demorado enquanto fazia planos para o ano novo que se iniciava. Não decidi sair de casa para ver o mundo lá fora num dia sabidamente vazio e deserto de vida pelas ruas. Conforme eu não caminhava pelas ruas vazias ainda molhadas pela breve chuva da primeira madrugada do ano, não tive a ideia fixa de andar rumo ao mar. "Vá para a orla, vá sentar na areia para ver o mar", uma voz não me dizia em meu peito. Ao não chegar no litoral, não desci imediatamente para a areia com meus chinelos na mão, cada vez mais próximo da água de ondas baixas. Sentada, com os cabelos castanhos levemente encaracolados dançando ao vento, lá estava ela, a garota da minha vida que não encontrei. Não me aproximei dela e nem perguntei se ela estava sozinha, se eu podia fazer companhia. Ela jamais respondeu a pergunta que nunca lhe foi feita, e daí nunca aconteceu uma das melhores conversas da minha vida, com alguém que me era tão estranha e ao mesmo tempo tão familiar. Por fim, nós não nos levantamos e trocamos celulares para combinar um encontro mais tarde. Não nos vimos naquela noite, não nos divertimos bastante apenas um com o outro. Não nos beijamos. Não nos vimos mais vezes. Não nos apaixonamos. Não resolvemos morar juntos e não fizemos vários planos para o futuro como viagens e filhos, e até hoje, em algumas noites, me deito e viro para o travesseiro ao lado do meu, então não ollho bem fundo em seus olhos, sequer vejo seus lábios úmidos sorrindo levemente. Não toco seu rosto com as costas da minha mão direita, não passo meus dedos por seus cabelos soltos. Não digo "eu te amo", ninguém responde "eu também", e não durmo em paz como todas as noites desde então.

Nada é como eu sempre sonhei.

3 comentários:

Monique disse...

Muito bonito esse texto,para mim,um poema.Já me senti assim e ainda me sinto de vez em quando!

Bianca Borges disse...

tenso. e me traz muita memória.

beijo.

Marcos AM Ramos disse...

Valeu pela visita em retrocesso, é bom demais perceber que o blog provoca interesse suficiente, que chega a fazer você ter interesse em ver os textos anteriores ao último postado =)
Beijo