domingo, 15 de maio de 2011

Fundamentais


Se as partes mais fundamentais da minha vida não dependessem das mulheres, eu depositaria minhas esperanças em Deus.

Sábado à noite chuvoso em casa, linguicinha frita e cerveja gelada. Aliás, cerveja apenas não: Bohemia escura, super gelada! Isso é que (quase) é vida!

Acabo de mandar Itatiaia à merda, sinceramente... Fala sério, qual é o problema com vocês mulheres? A revolução feminista já se deu há décadas e vocês até agora não perceberam que foram criadas para deitar com o inimigo? Tá na hora de lutar contra essa programação que vocês receberam sobre o que seria um "macho-man-provedor-do-lar". O modelo de homem como vocês o consideram é patético! Tá na hora de parar de pensar que homem gentil é mané, que homem sensível é fraco, que homem companheiro só serve pra amigo, que homem educado é banana, que homem preocupado e atencioso com vocês não tem vida própria. Um homem de verdade pode carregar em si muitos desses aspectos e nenhum deles ser demérito de sua masculinidade.

E tem mais: os seus discursos não batem com suas atitudes. Vocês até que dizem, com frequência, que tudo o que querem é um cara atencioso, carinhoso, companheiro e fiel, mas que tá difícil de achar porque "tá faltando homem no mercado"... Mentira, isso não basta! E na verdade, se nem assim for, tá valendo, pois eu atesto através de alguns exemplos que tenho e outros dos quais ouvi falar por fontes idôneas (que não vou citar aqui senão seria indiscreto da minha parte, mas se vierem me questionar pessoalmente eu conto com nomes falsos) que, no fim das contas, vejo vocês descartarem uns caras que até que eram legais e depois ficarem sozinhas e reclamando, ou com caras escrotos e reclamando. Às vezes me pergunto se, acima de tudo, o que vocês querem mesmo é motivo pra reclamar.

Estou generalizando apenas para poder desenvolver o assunto, sei que nem todas são assim, e sei que por uma incrível coincidência justamente todas as mulheres que lerem isso que escrevo aqui são parte da exceção. Curioso, né? De uma forma ou de outra, mesmo sabendo que meus comentários receberão alcunha não maior do que de "recalque", eu precisava expor isso aqui.

Na minha mais sincera opinião, acho que a questão pode se resumir numa equação bem simples: gostou, gostou; não gostou, não gostou, e pronto. Nada de desculpas, nada de justificativas piedosas, nada de explicações que só desmerecem ainda mais o outro. A aceitação pode ser difícil, mas o entendimento é fácil fácil.

Acontece que, ainda que esse texto durasse mil páginas ou essa conversa levasse mil horas, o final ainda seria o mesmo: vocês dizendo que não é bem assim, nós dizendo que é assim sim.

5 comentários:

Elis Barbosa disse...

e pronto final!

Marcos AM Ramos disse...

Ah, isso aqui é postagem antiga. Cancelei os outros dois blogs e migrei os principais posts pra cá. Mas tá valendo.

Sandrinha Maia disse...

Muito bom! As mulheres são assim mesmo... indecisas, inquietas... se estão bem, acham defeito... se estão na merda, reclamam do mesmo jeito... difícil existir alguma mulher (ou algum ser vivente) que esteja plenamente satisfeito... rs

Amanda Reis disse...

Excelente texto... tão atual mesmo escrito a algum tempo.

Amanda Reis disse...

Excelente texto... tão atual mesmo escrito a algum tempo.