segunda-feira, 31 de dezembro de 2007

2007



Pois é, chegamos! Chegamos ao final de 2007, e cá estou eu pra registrar o momento com a última postagem do ano. Aí em cima, vocês podem ver 2007 recebendo o que merece.

Muita, mas MUITA coisa mesmo aconteceu em 2007, ao menos até onde posso falar por mim. Muita merda, muitos erros, muito aprendizado. Praticamente nada que se aproveite de um jeito alegre, mas muito que se aproveite de um jeito útil, e isso já é algo. No momento apenas algo útil, mas que em 2008 pode vir a se mostrar algo bom.

Em muitos aspectos, 2007 foi um ano de ciclos girando velozmente, repleto de esperanças que foram renovadas e quase que automaticamente destruídas. Mas se pensarmos um pouco no mito da Fênix, talvez possamos acreditar que, se este ano termina em cinzas, é bem possível que o ano que vem comece com um vôo para o alto e avante. Mas nada disso de começar do zero. Não, nada disso. Começar do zero significaria desmerecer todos os acontecimentos desgraçados vividos até agora. O murro dado com gosto em 2007 é apenas uma retribuição final por todos os murros que este ano nos deu ao longo de seus doze meses esquisitos. A diferença é que sempre conseguimos nos reerguer após cada porrada, mas 2007 não terá a mesma chance: seu nocaute é seu fim, sua morte, marcada para meia-noite de hoje para amanhã.

Então cicatrizem-se, recomponham-se e respirem fundo!!! Vamos entrar em 2008 com a consciência de que tudo sempre pode piorar, mas que não cabe a nós contribuir para isso e nem aceitar que seja assim. Ainda há a possibilidade de que tudo melhore, e é nisso que vamos nos agarrar, e todas as novas merdas que vierem (e acredite, elas virão) serão enfrentadas, chutadas e superadas, assim como foram no ano que hoje termina.

A gente se vê no ano que vem, com novos ensaios, novos contos, novos qualquer coisa. Espero que vocês tenham boas novas para me contar em retorno ao que eu escrever aqui.

BOA SORTE em 2008!!!

Um comentário:

Bianca disse...

Oi Marcos!
Lendo este texto, pensei que tivesse sido escrito pra mim (convencida, né?)! A sensação que tenho de 2007 é exatamente essa que você descreveu tão bem: um soco.
E não vou zerar nada!!! A gente tem que carregar a bagagem... Aí é que está o enriquecimento dessa vidinha que temos!

Ótimo 2008 pra você!
Para o alto e avante!
Beijos, querido.