sábado, 1 de dezembro de 2007

30



Dia 24 de novembro é meu aniversário. Sou sagitariano, se é que isso importa. Se você olhar bem no seu calendário agora, verá que o deste ano já passou, foi sábado passado, quando completei 30 anos. Confesso que eu estava numa grande expectativa, pois dizem que o ano novo de cada um acontece em seu próprio aniversário, não no reveillon. Não sei exatamente o que eu estava esperando, mas sei que seja lá o que fosse, não aconteceu. Ou ao menos ainda não.

“E aí, está se sentindo mais velho?”, me perguntam. “Não”, eu respondo. “Está ficando mais sábio, hein”, afirmam esperando que eu não diga nada a respeito. “Isso, com certeza, não”, eu digo. Sábio não, mas com certeza mais experiente graças às merdas que já me aconteceram até hoje. Afinal, isso é inevitável, não um mérito meu. Mérito talvez eu tenha em, de fato, estar aprendendo alguma coisa qualquer, mas isso não significa necessariamente que eu tenha ficado mais sábio, pois erros ainda os cometo. A diferença é que antes era sempre por acidente, e um pedido de desculpas às vezes bastava pra colocar as coisas em ordem, e agora tento me ater aos meus erros pensados, refletidos e executados com verdadeira vontade, ou como dizem na faculdade de direito, com dolo. Cada vez mais eu erro porque quero, não por achar equivocadamente que estou fazendo o certo. Eu sei o que é um erro meu e o quanto ele pode ser errado, mas eu posso querer errar, e não pretendo pedir desculpas a não ser que o resultado seja diferente daquele que eu esperava conseguir com meu erro. Por outro lado, se agindo de tal forma eu conseguir o que queria, é isso aí e acostume-se.

Faz tempo que desisti de colocar tijolinhos no céu. Errar é humano, e eu estou apenas reivindicando meu quinhão nessa brincadeira. Não confunda isto com eu ser mau, de jeito nenhum. Não estou virando nenhum criminoso, longe de mim, nem estou destruindo vidas alheias. Apenas resolvi virar o responsável por mim mesmo, tirar a responsabilidade da minha felicidade das costas dos outros. Minha alegria e minha satisfação não dependem de ninguém além de mim, e simplesmente aqueles que se opuserem ou quiserem amerdalhar a minha vida em maior ou menor grau serão excluídos da minha convivência. Esses que assumam as conseqüências de seus atos, como declaro agora buscar sempre assumir as conseqüências dos meus. Se alguém quiser sacanear com a sua vida, deixe enquanto você quiser e achar que agüenta, mas tenha consciência disso, e não caia na asneira de depois ficar choramingando por aí dizendo “fulaninha só me sacaneia”, “fulaninho estragou minha vida”, etc., como se você mesmo não tivesse de alguma forma permitido que isso chegasse a esse ponto. Assim como cada vez erro menos por acidente e mais conscientemente, da mesma forma eu permito que errem comigo e vacilem comigo o quanto eu achar que aceito/agüento. Depois disso, é tchau e benção.

Já me apontaram muito o indicador em tom de acusação, me colocando mais rótulos do que num encarte de supermercado, mas sempre que sou tachado de algo não consigo mais deixar de pensar “e você não?”. Ah, vá ser hipócrita na putaqueopariu!!! O que um faz de errado agora o outro provavelmente já fez um dia. Ou fará. Ninguém é só luz e ninguém é só trevas: HUMANOS, tão belos quanto podres, tão perfeitos quanto falhos, aqueles que estão entre os anjos e os demônios.

Repetindo pra ficar claro: você e eu somos apenas
HU-MA-NOS!!!!!!!!!!!

Por fim: não, não me sinto com 30 anos. Aliás, que conceito seria esse? Isso não existe, cara. Isso é só uma questão de calendário.

Então, desestressa e assume sua parte no que te acontece de bom ou de ruim. Nós ainda faremos muitas coisas nessa vida, acertando quando der e errando se for o caso... O que vale é que façamos as coisas cada vez menos “sem querer”. E você entenda isso como quiser.

Agora me dá licença que eu preciso prosseguir com meus 30 anos. Preciso continuar acertando e errando, assim como você, assim como qualquer um. Humanos, lembra?

2 comentários:

Koala Bala disse...

Feliz ano novo seu!

Adorei isso de cometer erros pensados, medidos, intencionais. Acho que almejo a isso tb, mas ainda erro muito mais sem querer. Fiquei esperando um por exemplo dos seus erros.

Mas eu vou dar um exemplo meu msm e vou te provocar um pouco: este post cheira à crise dos 30 anos.

mario elva disse...

Errar é humano,m persistir no erro é mais humano ainda. "Esses humanos...", como diria o Supla...