terça-feira, 25 de agosto de 2009

Oi



Continuando minhas crônicas sobre a última mudança, conto agora como foi pra informar à Oi sobre a mudança de endereço para envio das contas. Apesar dos pesares, a atendente era simpática e tinha um sotaque nordestino calmo como quem aguarda um chá gelado deitado numa rede na varanda...

- Alô? Boa tarde, meu nome é Marcos e eu gostaria de informar que meu endereço para correspondência mudou.
- Pois não, senhor. O senhor poderia estar me confirmando seu CPF por gentileza?
- Tá, é blá blá blá blá blá.
- Ok, senhor. Qual o endereço, senhor?

(Aí entra um detalhe que preciso informar antes de seguir... Embora eu tivesse certeza de que o bairro aqui é Catete, a conta da Light - é, AQUELA Light mesmo - já tinha chegado e indicava o bairro como sendo Glória. Tirei a dúvida com umas vizinhas que me informaram que, de fato, quando se digitava o CEP daqui em algum sistema qualquer, aparecia automaticamente que o bairro era Glória. Sabendo disso, quis adiantar meu lado dessa vez. Rapaz tolo e ingênuo que fui...)

- Meu endereço novo é Rua do Catete, nº blá, casa blá, apartamento blá, bairro da Glória, Rio de Janeiro.
- Só um instante, por favor... Só mais um instante... Senhor, aqui consta que o bairro é Catete. Indica Glória apenas como primeira rua do CEP, e bairro do CA-TE-TE.
- Ah, tá bom, então pode deixar aí como Bairro do Catete.
- Mas o senhor informou bairro da Glória.
- É, é que o CEP desse local costuma dar Glória em muitos sistemas. Como para a Light consta Glória, imaginei que pra vocês seria igual. Mas pode botar Catete aí como bairro que funciona.
- Mas veja bem, senhor... a partir do momento em que o senhor me informou que o bairro é Glória mas o sistema indica o CEP como Catete, eu fico aqui com informações conflitantes. Preciso colocar o bairro certo para evitar extravio da conta.
- Eu entendo, mas eu estou falando aqui pra você colocar Catete. Esquece que eu disse Glória, até os moradores daqui da região se confunfem, é tudo muito misturado, Catete, Glória... O carteiro vai chegar no lugar certo.
- Mas senhor, preciso da confirmação de um segundo número para fazer a ateração aqui no sistema. O senhor poderia estar me informando um outro número residencial de onde o senhor mora?
- Mas eu só tenho essa linha aqui em casa, e acabei de me mudar, não conheço ninguém da vizinhança, não posso ir bater de porta em porta procurando quem me dê o telefone para confirmar isso...
- Entendo, senhor. Então o senhor poderia estar conferindo o número de algum telefone público na sua rua ou próximo para que eu possa estar verificando o bairro?
- Me desculpa, mas você tá pedindo que eu desça até a rua, procure um orelhão e anote o número dele pra voltar aqui e te passar esse núm... Olha, não dá, assim é demais. Por favor, me desculpe, me DESCUUUUULPE por eu ter dito que o bairro era Glória!!! Sabe, eu me confundi, eu tava DOIDO, eu não sei onde eu estava com a cabeça, o bairro é CATETE mesmo!!! Por favor, essa ligação está sendo gravada, né? EU assumo o risco de qualquer extravio de conta que possa ocorrer, mas eu confirmo: o BAIRRO, AQUI, É, CATETE! Por favor.
- Bem, senhor, eu posso estar efetuando a mudança aqui de Glória para Catete então, mas confirmando que foi por instrução do senhor.
- OK, por favor... Eu garanto, pode mudar aí.
- Só um segundo, senhor...
(razoavelmente mais do que um segundo depois)
- Senhor (me retornou ela, com um leve tom de riso na voz... juro), infelizmente o sistema saiu do ar por um instante e apagou os dados... Vamos precisar estar repetindo do começo... Qual o seu endereço novo, mais uma vez?

História real, mesmo. Apesar do desenrolar enrolado, a mulher era tão simpática que, quando me informou da queda do sistema e que teríamos que repetir do começo, eu tive que rir (mas só um pouco, só pra demonstrar simpatia para com ela e a situação). Dessa nova vez foi tudo mais simples. Eu informei que o bairro era Catete e tudo estava concluído em menos de um minuto e meio. Se eu tivesse feito isso, apenas isso, na primeira vez, a conversa não teria durado o que durou nem se tornado o que se tornou, mas daí eu também não teria o que contar aqui, não é verdade?

2 comentários:

mario elva disse...

Via crucis. Isso tem nome.

joão moreno disse...

sei como é isso, cara... acredite.