domingo, 14 de outubro de 2007

Grito



"Não é o grito
a medida do abismo?
Por isso eu grito
sempre que cismo
sobre tua vida
tão louca e errada...
- Que grito inútil!
- Que imenso nada!"


O poema acima chama-se A Medida Do Abismo, de Vinícius de Moraes. No lugar dele, eu acho que não faria a incisiva condenação sobre o jeito de viver de seja lá a quem ele estava dirigindo este poema. Cada um sabe de si, penso eu, e acho que já deixei claro este meu posicionamento aqui em outros textos. Desde que não se ferre com a vida dos outros gratuitamente, é cada um na sua, do jeito que quiser, sem certos ou errados. Mas sei, ao mesmo tempo, que sempre acabamos fazendo nosso próprio juízo sobre a vida alheia. Então tudo bem, tenhamos nossas opiniões e façamos nossos próprios juízos, mas condenar, não.

Mas grite se quiser, também. Escolha: um longo AAAAAAAHHHHH, um palavrão, um pedido, o nome de alguém...

Você pode gritar, mas cuidado, pois ainda que um grito possa ser ouvido, ele pode não ser entendido, e isso é muuuuuito comum de acontecer...

"Disseste que se tua voz tivesse força igual à imensa dor que sentes, teu grito acordaria não só a tua casa, mas a vizinhança inteira."

Acho que é meio por aí. Muito bonito, poético e coisa e tal. Você pode gritar e acordar todo mundo, mas não creio que vão querer te dar ouvidos depois. Ao menos eu, se fosse acordado com um grito, acordaria no susto, e ficaria puto da vida. Pensando nisso, acho que sei o melhor lugar para se gritar: à beira do mar (o mar, sempre ele). Vamos escolher uma praia, uma tarde, um pôr do sol. Vamos ficar descalços e chegar na beirinha do mar, molhar os pés, respirar bem fundo e então...

... então...

...


... GRITAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAARRRRRRRR!!!!!!!!!!!

5 comentários:

Koala Bala disse...

às vezes só gritando mesmo.

ou cantar. pq "cantar nunca foi só de alegria/ com tempo ruim/ todo mundo tb dá bom dia."

ah, finalmente vi sua carinha aqui do lado. agora sim, juntei o nome à pessoa. (eu e meu problema com os signos arbitrários. desculpe-me.) como é q vai, claquiano?

mario elva disse...

Esse post foi patrocinado pelas Pastilhas Valda.

Anônimo disse...

Isso! E depois de se esvaziar megulha no mar para dar aquela limpada baaaaasica!!! Jah estah lah mesmo, neh nao? Quem tah na beirinha carissimo eh para se molhar!!!

Beijo

Marcos AM Ramos disse...

Sim, mergulhar... Como pude deixar este passo de fora? Mergulhar: do jeito que estiver, do jeito que quiser!!!
Gritar e esvaziar-se das angústias, o mar que as leve! Mergulhar e preencher-se com as forças que nos remetem às nossas origens... a quem somos. Seja onda, seja calmaria, seja como for!

Bianca disse...

Aí está uma coisa que não dá pra fazer em Brasília!!! =)
Os gritos permanecem entalados até a próxima visita ao amado mar...