quinta-feira, 2 de setembro de 2010

Resolver


Hoje começo uma jornada na tentativa de equilibrar o meu carma (ou karma, ou seja lá como se escreve), exista isso ou não. Existirá ao menos um conceito mínimo pessoal de carma dentro da minha cabeça de agora em diante, e vou tentar fazer as pazes comigo mesmo (vou tentar fazer deste meu último post pessoal em sequência, nas próximas vou inventar mais contos para contar). Preciso resolver certas coisas.

Não ando bem, nem de saúde nem de nada, nos últimos tempos. Prefiro não entrar em detalhes sobre minha saúde aqui, mas digamos que estou com um problema estranho que simplesmente não tem diagnóstico, e por não ter diagnóstico não tem tratamento, e por não ter tratamento, em princípio, não tem cura. Então o único tratamento que estou fazendo é torcer para que eu melhore. Se quiserem torcer junto, agradeço.

Daí que esse problema de saúde me abalou em muitos níveis, especialmente no emocional, e isso foi um dos pontos fundamentais para o fim do meu último relacionamento, que sem dúvida foi o relacionamento mais completo que já tive em minha vida, pois vinha com namorada, amor, filhos, animal de estimação e tudo mais que vocês consigam lembrar agora para constituir uma família. Praticamente tudo estava dando certo, mas então de repente eu pifei, escangalhei, dei defeito, quebrei, chamem como quiserem... Minha saúde me faltou e junto levou minha calma, minha paciência, meu bom senso, minhas amabilidades... Passei a sentir apenas medo, raiva, nervosismo, e ignorar tudo e todos ao meu redor, afinal, apenas a doença misteriosa importava.

E nisso fiz sofrerem as pessoas mais próximas a mim, aquelas que estavam me oferecendo a chance de felicidade, de ter a família com a qual sempre sonhei. Não vi saída, então abandonei a todos quando tive a chance diante de mim. Eu estava sentindo dor, eu estava provocando dor, isso não podia ser saudável pra ninguém. Eu queria ficar sozinho, calado, no meu canto, remoer minha condição, sempre fui assim, mergulho em mim mesmo quando as coisas não vão bem, sumo do mundo, sumo para todos. Grandes merdas eu e meus isolamentos!

Eis que hoje fui levado a tomar uma atitude para resolver meus próprios conflitos e marquei um encontro importante, um encontro esclarecedor, no qual contei à pessoa mais interessada o que de fato está rolando comigo e por que as coisas aconteceram como aconteceram, por que eu agi como agi, por que fiz o que fiz. Sabem o resultado? Eu fui compreendido. Eu fui praticamente perdoado. Mas, acima de tudo, pela primeira vez em toda a minha vida, eu me senti amado de verdade por uma mulher que não fosse minha mãe ou minha avó, por uma mulher que decidiu me amar porque quis, e que mesmo passando por tanta dor e tantas dúvidas neste momento, ainda assim me demonstrou que o sentimento existiu.

A tendência, creio eu, é de que todos os ânimos se apaziguem de agora em diante, que as tristezas já não sejam mais tão sofridas assim, e que as vidas se resolvam para o melhor. O mais incrível, no entanto, é que voltei pra casa pensando em tudo que havia acontecido no encontro, então cheguei, fui cuidar da minha vida, cumpri minha rotina de sempre, e até agora (já é 1:20 da madrugada), pela primeira vez em 3 meses, eu não tive os sintomas da doença misteriosa que vem me corroendo diariamente. Não quero me deixar levar pelo momento, nem sou mesmo mais de me empolgar por expectativas, mas há muito tempo eu não tinha minhas esperanças de cura renovadas bem como a perspectiva de que esse mal que me aflige vá embora da mesma forma que chegou: do nada.

Isso me fez pensar em carma sim, em equilibrar as coisas que fazemos na vida, em escolher tomar as atitudes que achamos certas pela razão e/ou pelo coração. Se meu movimento de hoje foi um passo certo e o resultado foi eu ganhar o descanso do meu corpo e a paz da minha cabeça ao menos por uma noite, então torço para que eu saiba dar os próximos passos certos que me levem a não ter mais que viver meus dias preocupado, pensando se há maiores ou menores chances de aquele ser o último. Aliás, chances eram tudo que eu queria, mas sei que já as tive demais, já as tive todas, primeiras e segundas. Desejar uma terceira chance seria desejar o que não sei se mereço ter, e como já foi dito há milênios por alguém que sacou mais da vida do que eu um dia sacarei, "toda dor vem do desejo". Melhor manter minha bola baixa.

Como já disseram, também, em duas ou mais canções, "você pode não conseguir sempre o que você quer, mas pode conseguir aquilo de que precisa". Tomara.

7 comentários:

Adriana ♣* disse...

Já estou torcendo! ;)

A minha mãe é Budista, se você quiser, posso colocar o seu nome na lista de remoção de obstáculos do templo Budista aqui de SP.

Boa sorte e tudo de bom!

Adriana

"O que for teu desejo, assim será tua vontade.
O que for tua vontade, assim serão teus atos.
O que forem teus atos, assim será teu destino."

Deepak Chopra

Marcos AM Ramos disse...

Obrigado pelo comentário, Adriana. Te agradeço ainda mais pelo apoio, pela mensagem! Tenho imensa simpatia pelo Budismo e pelo Taoísmo, mas confesso que minha cabeça parece não se enquadrar em nada e permaneço sem religião mesmo. Sei lá. Sempre me considerei um agnóstico empírico, embora teísta. Poderia ser mais simples... ou não, né?
Saiba que sua torcida é bem-vinda do fundo do coração.
Beijo para você e para a sua mãe.

Flavia disse...

cheguei tarde, mas não podia deixar de dizer que torço sempre por você!
e vou aproveitar meu lado esotérico reikiano pra te enviar toda a energia positiva suficiente pra que você se cure e seja muito feliz
nessa nova etapa de autoconhecimento e novas escolhas.

besito

Flavia disse...

com essa frase "toda dor vem do desejo", lembrei da Françoise Doltò, psicanalista francesa, que dizia que todo desejo satisfeito acaba se transformando em necessidade.

Tatiana Sandim disse...

É engraçado..
Li seu texto e fiquei preocupada com você!! Mas, eu nunca te vi!! ahahah
Acho que é a forma como escreve... é envolvente e ao mesmo tempo parece vir do íntimo e dizer do que sente com muita sinceridade. Gosto disso.
Enfim, espero que esteja bem.
Um beijo!

Marcos AM Ramos disse...

Obrigado a todas pela presença neste blog e pela frequência positiva em que estão sintonizadas! As coisas sinalizam pra uma melhora por aqui, é só tudo seguir como tem seguido.
Valeu pela torcida e pelos comentários.
Bjs

H A R R Y G O A Z disse...

Brilliant.